Dicas

Autoestima- O que é, quais são os seus pilares e como melhorar

Emilly Krishna
Escrito por Emilly Krishna em 01/11/2020

Autoestima é reconhecer suas falhas e mesmo assim saber admirá-las. Vem aprender como se apaixonar por você todo santo dia

autoestima
Fonte: O Hoje

Sobretudo, muitos não entendem os benefícios que a autoestima pode proporcionar na vida de uma pessoa, por isso, decidi escrever um pouco para vocês, refletirem que o amor próprio pode sim fazer milagres.

De modo geral, a autoestima pode interferir diretamente na maneira como você comporta, age e pensa no dia a dia. Como por exemplo, se você não confia no seu trabalho, concorda comigo que será bem mais difícil arrumar um emprego?

Afinal, se nem você confia em você, porque então o seu futuro chefe confiaria, não é mesmo? E claro, a autoestima, está sim, diretamente relacionada com a autoconfiança, o autoconhecimento e o autocuidado.

Agora que você já entendeu que a autoestima pode mudar a sua vida, está na hora de entender detalhadamente sobre esse universo.

O que é a autoestima?

Primeiramente, a autoestima é a imagem e a opinião de você sobre você mesmo. Ou seja, é o valor e a avaliação física e mental que você faz sobre você.

De modo geral, para os psicanalistas, a autoestima está diretamente relacionada no desenvolvimento do seu ego e da estima de si mesma. Ou seja, a autoestima é se amar acima de tudo.

Sobretudo, a autoestima é construída a partir das suas experiências pessoais e passadas. Além disso, ela é também influenciada pelas suas emoções, crenças, comportamentos, autoimagem e a sua imagem sobre como os outros te veem.

Por isso, ela acaba influenciando nos seus comportamentos e determinando seu futuro. Afinal, ela reflete diretamente nas suas atitudes diárias e no seu equilíbrio emocional.

Portanto, a autoestima requer autorrespeito, autoaceitação e autoconhecimento. Pois, todos juntos agem em harmonia na construção da sua autoimagem, e fazem parte da autoestima.

Pilares da autoestima

1- Autoaceitação

Sobretudo, autoaceitação, é auto explicativo, né? Ou seja, é saber se aceitar, entender as suas falhas e reconhecer sua personalidade. De modo geral, é ter uma postura positiva sobre você mesmo.

Basicamente, se auto aceitar é estar satisfeito com você e com o seu corpo. Claro, que eu não estou falando pra você entrar pra uma bolha e ficar pra sempre na zona de conforto, ok?

Afinal, sempre podemos evoluir e melhorar cada dia mais. Então, comece a refletir, se os seus comportamentos atrapalham o seu progresso, mude-os. Caso contrário, se abrace e só procure se aperfeiçoar.

2- Autoconfiança

Fonte: Fepo

Assim, como a autoaceitação, a autoconfiança, também já é auto explicativo. Basicamente, você precisa confiar nas suas habilidades e reconhecer os seus pontos fortes.

Chega de ser a vítima da sua história, comece agora a ser a sua protagonista. Se erga, reconheça suas capacidades e seus desempenhos. Crie a convicção de que você pode chegar onde você quiser.

3- Autoconhecimento

De modo geral, o autoconhecimento é ter a consciência de toda a sua história, da sua personalidade e de todas as suas crenças limitantes.

Ou seja, é se conhecer e reconhecer. Saber os seus pontos fracos e fortes. E claro, saber e reconhecer o que deve ou não melhorar. Fica ligada, pois a sua voz interior pode ser mais poderosa do que imagina.

4- Habilidade social

E por fim, a habilidade social, é viver em harmonia, empatia e equilíbrio com as pessoas da sua volta. Ou seja, é saber conviver com as pessoas de personalidades diferentes e semelhantes com a sua.

Por que ela é importante?

autoestima
Fonte: Veja

Primeiramente, já reparou que em todos os filmes de super-heróis, os personagens principais sabem se admirar, reconhecer as suas virtudes e os seus pontos fortes?

Sobretudo, a diferença deles com a gente, é que não temos poderes sobrenaturais. Contudo, também somos personagens que precisamos ter responsabilidade para nos sustentar.

Ou seja, para conseguirmos conciliar nossas obrigações da vida pessoal com a profissional, e ainda ter saúde mental, precisamos estar confiantes e preparados para encarar os desafios que surgem.

Afinal, a vida não é feita de vitórias contínuas. Por isso, precisamos estar prontos para esses dias de derrota. Pois, são nesses dias que testamos nossos dons.

E para nos mantermos fortes, precisamos acreditar nas nossas capacidades e acima de tudo, precisamos nos amar, para entender nossas limitações.

Autoestima elevada

De modo geral, as pessoas com autoestima elevada tem alguns comportamentos em comum. Como por exemplo:

  • Facilidade para mudar. Ou seja, se aquele ambiente ou pessoa te faz mal, ela simplesmente sai;
  • Confiam em si. Ou seja, não se importam com a opinião e os julgamentos das pessoas;
  • Lidam bem com seus pontos fracos. Normalmente, elas superam as suas fraquezas ou defeitos, e não se tornam a vítima da sociedade;
  • Cuidam de si. Ou seja, criam bons hábitos alimentares, praticam atividades que favorecem a saúde e cuidados com o corpo;
  • Tomam atitudes. Portanto, sem ficar no muro e com dúvidas, então criam coragem para mudar a sua vida;
  • São seguras e com frequência afirmam suas qualidades e seus pontos fortes;
  • Nem modesto, nem arrogante. Afinal, arrogância é uma condição de supervalorização e a modéstia é de inferiorização;
  • Lidam bem com a solidão ou o desapego. Normalmente, elas procuram compreender certos afastamentos do que impedir ou sofrer por eles;
  • Sabem dizer não. Exatamente, elas não têm vergonha ou sentimento de injustiça ao negar algo a alguém. Normalmente, elas buscam sempre ter uma atitude justa consigo e com os demais.

Baixa autoestima

Fonte: Medium

Acredite se quiser, mas normalmente uma pessoa com a autoestima baixa, pode ter vários pontos negativos na sua vida. Como por exemplo: compulsão alimentar, bulimia, anorexia e obesidade.

Além do mais, normalmente essas pessoas tem dificuldades de dizer não, e tem com frequência as sensações de inferioridade e incapacidade. Por isso, observe os sinais do seu corpo, para procurar ajuda de um profissional.

Sobretudo, esses profissionais te auxiliarão com ferramentas que lhe ajudarão a superar e a desenvolver suas capacidades, a autoconfiança e a autoaceitação.

E lembre-se é importante tratar. Pois, a baixa autoestima é prejudicial para o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Sinais de baixa autoestima

  • Falta de confiança;
  • Timidez em excesso;
  • Medo de ser rejeitado;
  • Problematiza as suas limitações;
  • Precisa de elogios e reconhecimento dos outros para se sentir satisfeito consigo mesmo;
  • Não sabe receber críticas;
  • Competitivo com os outros e está sempre se comparando;
  • Tem por hábito a procrastinação;
  • Perfeccionismo;
  • Não reconhece suas vitórias e sucessos.

A importância de saber dizer não

Antes de mais nada, você também sente medo e falta de coragem ao dizer não, mesmo quando você não quer de jeito nenhum? Sim? Então você precisa entender que isso pode estar te destruindo aos poucos.

Sobretudo, quem tem dificuldade de dizer não, normalmente aceita tudo, por medo de ser rejeitado ou desvalorizado. Inclusive, eu também já fui assim. Sempre queria agradar a todos e esquecia de mim mesma.

Mas, saiba que o seu corpo sente. Afinal, essa necessidade de sempre querer agradar aos outros, acaba alimentando sentimentos negativos em você. e como você já deve imaginar, isso não é nem um pouco bom.

Como por exemplo, a raiva, a ansiedade, a angustia e o sentimento de tristeza vão se acumulando e tomando conta de você. No final, cada sim que você fala para o outro, se torna um não para você mesma.

Ou seja, você se torna “aceita” pelo outro, mas rejeitada por você mesma. Viu só, que loucura? Por que não cuidamos primeiro do nosso templo, vulgo nosso corpo, em vez de cuidar do outro?

Ao dizer não para você mesma, o seu corpo vai acumulando tristeza, e sensações de inferioridade. Ou seja, abala a sua autoestima. Portanto, chega de tudo isso.

Comece agora a colocar limites e se imponha. Fale “eu não quero”, “eu não vou”, “não vou fazer”. Pronto! Não é difícil, vai ver que começar a dizer não, passa a ser uma terapia.

Como melhorar?

Fonte: Viva bem

Agora que você já viu que só tem malefícios em não se amar, vamos a algumas dicas. Mas, antes de mais nada, procure um especialista, eles saberão lhe auxiliar quais caminhos você deve percorrer.

Além de lhe ajudar em seu crescimento pessoal e na difícil tarefa de se entender e aceitar. Enfim, agora vamos de cuidados que você pode ter na sua rotina:

1- Foque no autoconhecimento

autoestima
Fonte: Like Gabs

Pensa só, você é um mapa e precisa conhecer todos os seus países e estados. Então, estude, procure e se encontre. Comece escrevendo os seus pontos fortes e fracos.

Em seguida, vai analisando as suas limitações e como tudo começou. Sim, faça uma retrospectiva na sua vida, relembre como você era quando criança e como você agia com os outros.

Acredito que você encontrará explicações dessa forma. E claro, use um caderno para conversar com você mesma, why not?

2- Seja mais realista em relação às suas expectativas

Fonte: Marinalva

Se conhecer é entender suas limitações. Ou seja, é aprender a ser realista. Vamos de uma frase cliché “Desce do cavalo”. Primeiro, que se você criar expectativas maiores do que consegue.

Pode criar desilusões, capazes de te derrubar e te fazer desistir. Então, comece imaginando que a vida é uma escada. Ou seja, suba de degrau em degrau.

Se descer, por conta de um erro, calma, respira fundo e caminha novamente. E sempre fique positiva, pois tudo acontece, como tem que acontecer.

3- Não busque pela perfeição

Mulher, ninguém é perfeito. Então, porque você quer ser? Portanto, te acalma. Pois, você também erra e aprende. Inclusive, saiba que o perfeccionismo é um dos hábitos mais destrutivos que podemos cultiva.

Até porque, esse medo de cometer erros, pode nos tornar pessoas infelizes. Consequentemente, com autoestima baixa.

4- Não se compare aos outros

autoestima
Fonte: Overstress

Primeiramente, eu já te disse que você é única? Pois é, então pare de comparar o progresso da outra com o seu. Pois, tudo tem o seu tempo. Então, se acalme.

Pois, os dias de glória vem para todos. Isto é, todos que estão cultivando, ok? enfim, procure apreciar as suas conquistas e as suas oportunidades. O universo te entrega tudo que te pertence, ok?

5- Admire as suas qualidades

autoestima
Fonte: Expire

Exatamente, vá para a frente do espelho e comece a se olhar. Aliás, não falo só da beleza física não, ok? Na verdade, falo das sua beleza interior, das suas conquistas, da sua personalidade, de você por inteira.

Enfim, se admire, aprecie suas curvas, suas celulites, suas estrias. E até mesmo, sua barriguinha de chopp. Enfim, entenda de uma vez por toda, que você é única e cheia de qualidades. Talvez, até inimagináveis.

6- Invista na sua saúde emocional e física

Procure ajuda de profissionais, que possam te ajudar a entender o seu eu interior e que te auxiliem a conquistar tudo que almeja. Além disso, cuide do seu corpo também, já te disse que o seu corpo é o seu templo?

Então, cuide bem dele. Faça atividades físicas, faça uma alimentação mais saudável. Inclusive, não falo isso só por estética, é pela saúde mesmo, ok?

Além disso, invista em terapias holísticas. Como por exemplo: meditação, yoga e técnicas de respiração. Enfim, invista em você.

Autoestima x beleza

Fonte: Eu odonto

Antes de mais nada, a autoestima não tem nenhuma relação com a beleza. Então, entenda a sua beleza física é única, e só por isso, você já privilegiadíssima.

Portanto, não se preocupe com os padrões impostos pela sociedade. Na verdade, você tem que se preocupar, somente com você mesmo, e como você se sente.

Sobretudo, vale destacar que quando não temos autoconhecimento elevado, é normal sentirmos que não somos valorizadas e amadas. isso tudo por conta da nossa aparência.

Basicamente, muitas pessoas acabam usando a beleza física como medidor de autoestima. Afinal, muitos veem a beleza física como a única qualidade. Contudo, como você sabe a beleza é mutável.

Até porque, nascemos de uma forma e morremos d outra, certo? Por isso, ela não pode ser vista como o único ponto forte que temos. Portanto, procure sempre agradar a você, para depois agradar outra pessoa.

E lembre-se a autoestima é uma relação entre você e você mesma. Já a beleza, normalmente é uma relação entre você e o que as pessoas vão achar.

Portanto, antes de agradar ao outro, ame a sua singularidade, as suas qualidades e entenda todas as suas limitações.

Exercício prático

Se você chegou até aqui e mesmo assim achou complicado ter mais autoestima no dia a dia. Vim lhe dizer que existe exercícios mentais, que você pode fazer todo dia para melhorar sua autoestima:

  1. Faça uma lista com todas as crenças negativas que você tem sobre si.
  2. Depois, se defenda de cada item listado.

Enfim, o que achou da matéria dessa semana? Espero ter te ajudado.

Agora venha conferir mais uma matéria do Blog: VSCO girl- O que é, quais são as principais tendências + tutoriais

Imagem de destaque: O hoje

Fontes: Minha vida, Zenklub

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

4 Replies to “Autoestima- O que é, quais são os seus pilares e como melhorar”

Daniela Castro

Adorei! Super completa a matéria. Muito boa.

Emilly Krishna

Aaah fico muito feliz pelo feedback! Obrigada ❤️❤️

Ana Clara Brasil

Conteúdo importantíssimo ❤️
Numa época tão voltada para redes sociais, perdemos a admiração por nós mesmas e precisamos resgatar. Parabéns!

Emilly Krishna

Gratidãaao meu amor!! É por conta dessa realidade virtual, que precisamos mais do que nunca, nos conectarmos a nós mesmas! ❤️❤️